Lindinalva Ramalho

Lindinalva Ramalho

Lindinalva Ramalho, Psicóloga Clínica, especialista em Saúde da Famíla, Coach de Relacionamentos, e proprietária da FinoAmor – Agência de Namoro & Matrimônio. Realiza atendimento a solteiros que desejam um relacionamento saudável e duradouro, e aconselhamento conjugal para casais em crise.

> ARTIGO

Publicado em 16/12/2015 14h37
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

Traição e adultério: ato público ou privado?

Não posso deixar de expressar a minha indignação ao caso “Fabíola” que, lamentavelmente, virou comédia nas redes sociais do nosso país esta semana.

Ao ver as cenas, imediatamente, me reportei às mulheres islâmicas que são apedrejadas até a morte por terem sido flagradas ou mesmo acusadas de cometerem adultério. Lá, os talibãs as punem com a morte, destroem o seu corpo, a sua vida! Aqui, essa moça, que poderia, tranquilamente, ser responsabilizada pelo seu adultério, teve a sua vida, a sua história, o seu passado e o seu futuro, totalmente destruídos. A sua dignidade e integridade moral desmoronou num efeito cascata, depois de ter sido exposto, em todas as redes sociais do nosso país, um vídeo com a sua imagem dentro do carro de um amigo do próprio marido na porta de um motel.


Não sou advogada, nem tenho a intenção de fazer comentário algum neste caso de adultério. Mas, dirijo a minha atenção ao “amigo” do marido traído. Esse que perdeu a grande oportunidade de ajudar as duas famílias envolvidas no caso. Esse homem que, em instante algum, teve sabedoria para mediar o conflito, pois, naquele momento, o mais importante para ele era desempenhar o papel de “câmera-man”, não perdendo nenhum segundo da cena. Em seus comentários ao traidor, até questionou: “com tanta “piranha” por aí...”! E para a Fabíola: “com tanto homem por aí”! Quanta confusão, na hora de falar sobre valores: o marido pode trair a esposa com “piranhas”; a esposa se quiser trair o marido, deve procurar um “homem”!!!
 

Dicas:

Ninguém gostaria de presenciar o adultério de um melhor amigo ou amiga, é lógico! Mas, se, infelizmente, você se encontrar nessa situação, sem saber o que fazer, como agir, agora, com o caso “Fabíola”, o “amigo” do marido traído deixou muito claro EXATAMENTE o que você NÃO DEVE fazer em hipótese alguma!


Aos casais que passam por situação semelhante – relacionamento extraconjugal, perda do interesse sexual pelo cônjuge, paixão avassaladora por outra pessoa, etc. -, sugiro que procurem apoio profissional especializado para o caso específico, antes que a situação e os sentimentos fujam completamente ao controle!

Pense Nisso!

Eu sou Lindi Ramalho, psicóloga e coach de relacionamento, e desejo a você uma excelente semana! Emoticon wink
WhatsApp: (83)98876-5056
E-mail: lindi.psicoach@hotmail.com
www.finoamor.com.br


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share