Renato Caldas

Renato Caldas

> ARTIGO

Publicado em 29/02/2016 12h56
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

Subindo a Escada

Colunista Renato Caldas     A escada para o reino dos céus está escondida em nossa alma. Precisamos saltar do pecado para o mergulho em nós mesmos e assim iremos encontrar a escada por onde poderemos subir. (Isaac de Nínive). Aqui o caminho para Deus é o descer á própria realidade.


A espiritualidade dos antigos monges,segundo Anselm Grun ,no seu livro “Espiritualidade a partir de si mesmo”,era uma espiritualidade de  baixo, que o encontro com a própria realidade,ou mais precisamente,com as falhas e os fracassos ,nos leva para Deus.


No capítulo mais extenso de sua regra, São Bento descreve a espiritualidade de baixo. É o capítulo sétimo, sobre a humildade. O número sete designa a transformação do homem por Deus.


Certamente foi Agostinho quem mais desenvolveu a doutrina sobre a humildade. Para ele, ser humilde é reconhecer a própria dimensão e se conhecer a si próprio com honestidade. Na humildade, o homem reconhece a dimensão que  lhe foi dada ,reconhece que é homem e não Deus.


A humildade, portanto, leva o homem a sentir prazer no seu impulso vital, na sua força, no moldar sua vida pelo espírito de Deus. A meta do caminho da humildade não é, pois, a humilhação, mas sim a elevação, a transformação pelo espírito de Deus, que penetra inteiramente, seu prazer com esta sua nova qualidade de vida.


O paradoxo da espiritualidade de baixo consiste em que nós subimos para Deus precisamente quando descemos á nossa realidade humana.


     São Bento compara os caminhos dos doze degraus com a escada que Jacó viu em sonhos. A escada de Jacó,por onde os anjos sobem e descem, era uma Imagem da contemplação,onde o céu se abre para nós.Agostinho chega a chamar Cristo de  scala nostra, “nossa escada”. Cristo desceu até nós para que, por ele, como por uma escada, nós possamos subir até Deus.As duas traves laterais da escada são interpretadas pelos santos padres ora como sendo o Antigo e o Novo Testamento, ora como o duplo mandamento do amor a Deus  e ao próximo.


São Bento interpreta as duas traves como sendo o corpo e a alma. Em nosso corpo e em nossa alma Deus colocou uma escada pela qual podemos subir para Deus  quando primeiramente descermos na humildade.


     No caminho para Deus, nós não podemos fazer saltos.Temos que subir degrau  por degrau.


     É em sonhos que Jacó vê a escada por onde os anjos de Deus sobem e descem (Gn 28,10ss.) O sonho abre seus olhos para a presença de Deus em sua vida. Jacó está justamente fugindo. É em uma situação típica de fundo do poço, de fracasso, de destruição dos próprios planos que Deus se dá a conhecer no sonho.


No sonho, Deus lhe diz que o lugar onde ele dorme é um lugar santo. E promete estar com ele,andar com ele todos os caminhos, até realizar o que prometeu. O sonho mostra-lhe a meta do caminho, que primeiro o há de levar à decepção em casa de Labão.


Ele tem um significado de compensação. Exteriormente tudo é triste e sem esperança.Mas,no sonho, Deus modifica a situação.Ele mostra a Jacó que,depois que tiver chegado ao fim,Deus pode tomar tudo em suas  boas mãos.E em vez de fugir de Deus,ele corre diretamente para dentro de Deus.Para ele, a pedra que se encontra em seu caminho no deserto, a pedra de tropeço que poderia levá-lo a cair,passa a ser a pedra  de um memorial á felicidade e á misericórdia de Deus.


     Todos nós podemos transformar esta pedra de tropeço que pode nos Levar a cair em uma pedra de um memorial á felicidade e á misericórdia de Deus.


     Bastante sugestiva, nesta passagem, é a Escada de Jacó estender-se ao infinito. Simboliza a nossa jornada rumo á Perfeição.


     Moralmente, a Escada de Jacó situa-se em nossa própria consciência. Para galgar seus degraus até o Céu da inalterável serenidade que sustenta a alegria de viver,mister aprimorar nossos    sentimentos ,  superar nossa agressividade própria do comportamento humano.


     É a Escada do Progresso Moral e Espiritual, das Virtudes e da Santidade. “Na verdade, na verdade vos digo que daqui em diante vereis o Céu aberto, e os Anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem”. (Jo 1:51)


     Jesus é a Escada que faz a ligação entre o Céu e a Terra.


     À medida que desenvolvemos nossas potencialidades criadoras e aprimora mos nossos sentimentos, galgamos degraus, aproximando-nos, cada vez mais do Céu, a exprimir-se na plena realização como filhos de Deus,na geografia daconsciência.


Renato Caldas Lins
Professor e Escritor
Lins.rc@hotmail.com
    


    


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share