Pedro Neto

Pedro Neto

Pedro Neto é Publicitário formado pelo IESP Faculdades, professor Universitário na Faculdade Maurício de Nassau e pesquisador de Antropologia com mestrado em Ciências das Religiões pela UFPB. O colunista já assinou espaços em diversos portais do Estado, e atualmente escreve em nível nacional para o Portal da Revista 100 Fronteiras, do Paraná

> ARTIGO

Publicado em 04/03/2016 16h17
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

MODA por Pedro Neto

Sociedade em Fatos falará sobre moda semanalmente. Colunista é figurinista autodidata e possui experiência em produção e moda.

Darei início ao “Blog” de Moda nesse renomado espaço do Portal FatosPB com muita alegria. Afinal de contas, não é de hoje que entendo do “riscado”. Nos idos de 2007 e 2008, já escrevia sobre moda para portais de destaque na época, quando direcionei o enfoque da coluna social para também abranger crítica de moda. Na foto, uma homenagem de meus alunos de Planejamento de Comunicação na Faculdade Maurício de Nassau.

Pois bem, os anos passaram e percebi que o perfil do “colunista” de moda tornou-se mais próximo do público, sendo o “blogueiro” de moda responsável por apresentar dicas e ditar algumas regrinhas básicas de produção. Sabendo que dessa área conheço academicamente e tecnicamente, pois sou figurinista autodidata premiado nacionalmente.

Para estrear esse espaço, nada melhor que destacar a moda paraibana em sua vertente tradicional e renovável, isto é, a recriação do estilo de um talento paraibano que possui uma larga trajetória de destaque nacional e internacional. Por coincidência, foi palestrante numa Feira do Empreendedor do SEBRAE/PB (O Sebrae sempre marcando minha trajetória), nos idos de 2005, quando apresentou técnicas e motivos de implementação visual e em modelagem em coleções. Ali me encantei e fui muito bem recebido ao final da palestra, quando conversamos sobre bordados e materiais de luxo em pedrarias. Seu brilho no olhar me fez perceber que estava no caminho certo, e por aqui trilhei.

A Moda paraibana de Lúcia Chianca

O Barroco Tropical Paraibano 2016 em linhas e curvas destacando bom gosto e resgate cultural

 

Chegou em nossas mãos o portfólio da mais nova coleção da estilista paraibana, queridíssima, Lúcia Chianca. As fotos produzidas pelo fotógrafo Sebastian Fernandes, que clicou as modelos Fernanda Ferreira e Otaciana dos Santos, nos cenários bucólicos e históricos do Centro Cultural São Francisco, exemplar do barroco tropical na capital paraibana. A produção foi do Camarim Studio de Beleza, que adornou as já belas deusas de “ébano” escolhidas pela equipe para estrelar a campanha. 

As peças fazem parte do produto da Oficina de Modelagem e Tecnologia em Produção de Vestuário – Monumentos Bordados, ministrada pela estilista a convite do renomado Zé Augusto, professor da UFPB (PRAC/UFPB), como também do Pró-Reitor Orlando Cavalcante, responsável pelo convênio UFPB e SEBRAE. Lucinha criou modelos que refletem em sua inspiração o Espírito Santo, luz e sombra do barroco, remetendo à referências como a Igreja da Guia, localizada em Lucena. Também serviram como inspiração para a pesquisa a Igreja do Mosteiro de São Bento, o Mosteiro de São Francisco e a beleza da Paraíba. Pois bem, vamos ao apurado do que percebi acerca do novo trabalho de Lúcia Chianca.
               

A primazia na modelagem é o ponto alto de toda e qualquer coleção apresentada por Lucia Chianca, bem como as aplicações sempre minimalistas e elegantes. Dessa vez, não foi diferente! Me apaixonei pelo vestido em tom cru com aplicações formando a estampa da Igreja de São Francisco, usaria tranquilamente como MaxBlusa, qualifico a peça como unissex.

 

                A escolha das modelos negras, belas e conceituais, foi acertadíssima! Ponto alto do catálogo divulgado. A força e a fé da mão de obra dos africanos e seus descendentes foram os pilares e alicerces para a construção do barroco paraibano, e disso ninguém fala, mas eu falo! E Lucinha destaca de forma elegante.
 


                Você deve lembrar das aulas de História da Arte sobre o Barroco, caso não lembre, recordarei: a luz e sombra são compostos essenciais a toda leitura e releitura das expressões significativas ao estilo de arte que retratava a opulência das formas, exagero e perfeição nos detalhes. Pois bem, a foto a seguir me tirou o fôlego: as modelos apresentando uma sobreposição composta pela cena: luz e sombra em efeitos de bordados que na foto se complementam entre as peças. Que emoção! O Barroco é isso, emoção!


                Na “Bica dos Milagres” de Santo Antonio, nos jardins do Centro Cultural São Francisco, em João Pessoa – Paraíba, a modelo apresenta um vestido uva com aplicações belíssimas de formas e sobreposições de efeito cênico características do estilo barroco. Nossa, que belo!

 


                O que fala nessa coleção sobrepõe a arte e configura-se enquanto amor ao que se faz. Quero conferir de perto essas peças, e apresentarei a vocês, aqui no FatosPB, as impressões dessas roupas na passarela. Parabéns, Lúcia Chianca!

Up! Up! Up!

- Em nossa próxima postagem, comentários a respeito das coleções masculinas apresentadas nas passarelas de evento internacional;

- O que se veste na Europa deve ser repetido nos trópicos?

- Especial: Barbearia apenas para homens e salão de cabeleireiros exclusivamente para as mulheres? Até que ponto chega a segmentação do mercado de beleza e estética?

 

- Ter estilo é ser autêntico!
            

 - Contato com este editor:
  

 falecompedrojpb@gmail.com


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share