Lindinalva Ramalho

Lindinalva Ramalho

Lindinalva Ramalho, Psicóloga Clínica, especialista em Saúde da Famíla, Coach de Relacionamentos, e proprietária da FinoAmor – Agência de Namoro & Matrimônio. Realiza atendimento a solteiros que desejam um relacionamento saudável e duradouro, e aconselhamento conjugal para casais em crise.

> ARTIGO

Publicado em 10/08/2016 11h15
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

Relacionamento e Traição Virtual: Realidade ou Pura Imaginação?

            É bem interessante como as opiniões divergem, quando falamos sobre esses dois assuntos: Relacionamento Virtual e Traição Virtual. Ao contrário do que pensamos, a palavra “virtual” não é uma descoberta do mundo pós-moderno! Na computação, por exemplo, esse termo já vem sendo utilizado desde 1959, segundo o Dicionário de Etimologia Online. Contudo, o que podemos entender por virtual e até que ponto ele é ou não real?

            O filósofo francês da cultura virtual contemporânea, Pierre Lévy, afirma: “O virtual é um espaço real...!” Nas áreas da medicina e psicologia, podemos ver o termo virtualidade associado à psicossomática, onde o imaginário subjetivo(mente) provoca reações - de prazer ou não - diretamente no corpo.

            Já especulando sobre a traição no relacionamento amoroso, podemos dizer que essa se instalou a partir do momento que decidiram criar o relacionamento monogâmico. Se você está ousando me perguntar qual foi a data precisa ou quem foi o autor desta proeza, esqueça! Pois teríamos de fazer um longo passeio sobre a história da humanidade, sem nenhuma garantia de chegarmos a uma conclusão plenamente satisfatória.

            Mas, a pergunta que não quer calar é: Existe Traição Virtual?
            Bem, para àqueles que cometem a “infração” (risos), certamente, vão dizer que NÃO! Porém, para os seus cônjuges, namorado(a)s, companheiro(a)s, com certeza, esses, vão gritar que SIM!
            E eu, pessoalmente, começo respondendo que, se existe relacionamento virtual, logo, deduzimos que existe também a traição virtual.

            Quando a internet deixa de ser uma ferramenta de uso exclusivo para o trabalho, e ganha popularidade, tornando-se acessível para uso doméstico, os seus usuários passam a desfrutá-la como ferramenta de diversão e entretenimento. Sendo o Homem um Ser Social e muuuito criativo, não demora a descobrir que esta pode vir a ser um instrumento facilitador de interação e aproximação de pessoas por afinidade. E, antes mesmo da chegada das famosas Redes Sociais, já sabemos da existência de trocas de e-mails com a finalidade de impressionar e até seduzir os interlocutores. Devido à complexidade e à falta de intimidade com o mundo da tecnologia, o flagrante desses “flertes” não era tão comum. Daí, para a popularidade e facilidade dos envolvimentos virtuais nos dias de hoje, foi um “pulo”, tão rápido quanto coceira de coelho!

            Sendo assim, se você tem um(a) parceiro(a) que troca intimidade, palavras de carinho, cria um clima de romantismo e cumplicidade, alguns chegam a manter práticas sexuais - usando o seu imaginário para desfrutar de sensações de infinito prazer (até orgasmos) - através dos mais variados meios tecnológicos, qual é mesmo a sua dúvida, quanto está sendo traída(o) ou não?

            Eu sei que não é nada fácil enfrentar essa triste, revoltante e indigesta realidade, que, para você, não é nada virtual! Portanto, podemos deduzir que, Virtual, ou Real, ser traído(a) DÓI PRA CARAMBA! E, já que a traição aconteceu, cabe ao casal, enfrentar uma conversa franca e sincera para avaliarem a possibilidade de continuação ou não da sua união. Para melhor analisar e avaliar o relacionamento, com o objetivo de superar suas dores e frustrações, o acompanhamento de um psicólogo especializado em relacionamento amoroso é indispensável.

            De qualquer forma, enxugue as suas lágrimas e acorde para a vida porque “o tempo não para”! Não vai ser muito assertivo ficar “sentado à beira do caminho”, “na praça, dando milho aos pombos” ou “no trono de um apartamento, com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar”.

            Se o seu relacionamento não está bom, não tem expectativa de melhorar, e, mesmo tendo muito respeito recíproco, se não existe amor suficiente entre vocês dois e nem vontade de restaurar aquela história de amor que só ficou nas lembranças, talvez a melhor solução seja manter, entre vocês, a invejável amizade e partir, cada um, para o seu caminho, em busca da tão sonhada felicidade.

Quer falar comigo? Tirar dúvidas ou contar a sua história? Escreva pra mim! Será um prazer poder ajudar você!
E-mail: linda.ramalho@terra.com.br             WhatsApp: (83)98876-5056

Eu sou Lindinalva Ramalho, Psicóloga e Coach de Relacionamentos e desejo a você uma excelente semana! 


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share