Janguiê Diniz

Janguiê Diniz

Janguiê Diniz – Mestre e Doutor em Direito – Reitor da UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau – Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional

> ARTIGO

Publicado em 16/02/2017 12h22
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

Geração Z

Durante anos, a Sociologia apontava o surgimento de novas gerações a cada 25 anos. Entretanto, com a velocidade das mudanças ocorridas na sociedade, falar de novas gerações a cada quarto de século é comparável, praticamente, há um século. Assim, estima-se que novas classes de gerações surjam a cada 10 anos, implicando diretamente na forma como as pessoas agem, consomem e gerenciam suas vidas. A Geração Z foi usada para definir as pessoas nascidas na década de 90 até o ano de 2010, sucedendo a Geração Y e extremamente vinculada à expansão da internet e o “boom” da criação dos aparelhos tecnológicos. A maior característica dessa geração é a conectividade e as inúmeras opções de compartilhamento de arquivos e informações, seja através da televisão, internet, telefone, etc.

Os integrantes dessa geração nunca viram o mundo sem computador. Fica mais fácil entender se pensarmos da seguinte forma: a Geração X viu o nascimento da internet. A Geração Y surgiu na época dos avanços tecnológicos e da prosperidade econômica. As crianças da geração Y cresceram com TV a cabo, videogames, computadores, vários tipos de jogos, e muito mais, tendo o que muitos de seus pais não tiveram.  Já a Geração Z aparece em uma época onde tudo está disponível na internet, de forma fácil e simples.

Podemos então afirmar que esta é uma geração evoluída, madura e com objetivos bem definidos? Não. O mundo dos que integram a Geração Z é tecnológico e virtual e, por vezes, os jovens que a integram não conseguem distinguir a diferença entre o real e o virtual, o que acaba prejudicando o desenvolvimento de habilidades como o relacionamento interpessoal e a capacidade de ser um ouvinte. As dificuldades não param por ai. Se a Geração Y acreditava em construir carreira e estudos formais, a Geração Z chega desconfiada nesse assunto. Segundo especialistas, isso é justificado pelo fácil acesso às informações, que acaba trazendo muito conteúdo para os jovens, porém pouca especialização em um determinado assunto.

Se a Geração Y, por terem esse contato todo com a tecnologia, acabou ficando conhecida por ser composta por pessoas folgadas, distraídas, insubordinadas e superficiais, a Geração Z traz consigo a transparência, a facilidade com que produzem conteúdo, a criatividade e inclinação para se envolver em causas sociais. O que as empresas e o mercado de trabalho esperam dos profissionais dessa nova geração? O mercado está mutável, exigindo profissionais, cada vez mais, preparados e que trabalhem com diversas atividades. Há uma tendência de que sejam futuros profissionais com abordagem mais generalista, mas com o perfil multitarefa.

O comportamento tanto dos jovens quanto das organizações está em constante mudança e evolução. As empresas precisam estar atentas e ter flexibilidade para alinhar suas práticas e programas para estarem sempre atualizadas, colaborando na retenção e desenvolvimento de futuros talentos. Este é também o desafio das instituições de ensino: formar o aluno com a visão de um profissional versátil.


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share