> NOTÍCIA

Publicado em 14/08/2017 09h29
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

Iphaep realiza III Semana do Patrimônio Cultural da Paraíba a partir desta terça

A programação terá início no dia 15, no início da tarde, quando haverá a entrega das imagens restauradas da Fazenda Acauã

Por Assessoria

Uma semana para discutir a história, a memória e os patrimônios material e imaterial da Paraíba. Uma viagem ao passado, mas com o olhar voltado para o presente, com a intenção de permitir a construção de um futuro que seja conhecido e respeitado pelas futuras gerações. Com esta ideia, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) realiza, a partir de terça-feira (15), até a segunda-feira (21), a III Semana do Patrimônio Cultural da Paraíba. Durante cinco dias, a equipe do Iphaep estará realizando atividades culturais e de educação patrimonial em três cidades paraibanas: João Pessoa, Aparecida e Alagoa Grande.

“Sucesso e retorno eficaz, fruto de compromisso ético e responsabilidade social, nos conduziram a promover, mais uma vez, este projeto,  acatando uma demanda organizada de reivindicações e contemplando, em sua programação, ações de cunho técnico e educacional”, revelou a diretora executiva do Iphaep, Cassandra Figueiredo.

A programação terá início no dia 15, no início da tarde, quando haverá a entrega das imagens restauradas da Fazenda Acauã, patrimônio tombado nacionalmente, para a Igreja Matriz da cidade de Aparecida. Já a partir das 16h, será realizada uma missa campal e uma carreata. Na quarta-feira, as atividades irão se concentrar em frente ao Teatro Santa Roza, em João Pessoa, que foi restaurado pelo Governo do Estado. No local será montada a exposição EnTenda o Patrimônio, com a realização de atividades lúdicas de pintura para as crianças e distribuição de folders, jornais e material didático à população, destacando o papel do Iphaep no tocante à preservação patrimonial dos bens paraibanos.

Na quinta-feira (17) é Dia Nacional do Patrimônio. E, a partir das 14h, a equipe do Iphaep estará no Palácio da Redenção, para assinatura do convênio entre o Iphaep e diversas entidades educacionais – UFPB, Iesp e Unipê -, além do Projeto Empreender. “O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba, criado pelo Decreto n. 5.255/71, tem como finalidade a preservação, conservação e restauração dos bens de valor histórico, artístico e cultural. E, ao longo anos dos anos, vem atuando com ações técnicas e educacionais em todo o Estado da Paraíba, tendo surgido, neste contexto, o projeto da Semana do Patrimônio Cultural da Paraíba, que já está em sua terceira versão, enquanto ação comemorativa em alusão ao dia do Patrimônio”, revelou a gestora estadual Cassandra Figueiredo.

Para fechar as atividades desta semana, na sexta-feira (18), a equipe do patrimônio estadual estará em Alagoa Grande. Na terra de Jackson do Pandeiro e Margarida Maria Alves, vai ocorrer, no Teatro Santa Ignêz, o lançamento do segundo número do informativo Parahyba. A publicação do Iphaep tem a proposta de “mapear” as ações do Instituto e enfatizar todas as vertentes – da história à economia, passando pela cultura e o patrimônio edificado – das cidades que possuem Sítio Histórico Tombado.

Já no encerramento da III Semana do Patrimônio Cultural da Paraíba, que ocorrerá somente na próxima segunda-feira, dia 21, será a hora de relembrar um dos fatos históricos mais marcantes da História política da Paraíba Imperial: a Revolução de 1817, que este ano completa seu bicentenário e que pregava a liberdade e a soberania nacional.

A tarde será totalmente dedicada a eventos comemorativos como: palestra para alunos e o desfile da bandeira do Movimento de 1817, carregada em sessão solene por um cadete, no Palácio da Redenção. Em seguida, na Praça 1817, será inaugurada uma placa, que vai registrar, para a posteridade, os ideários da Revolução de 1817.

“É uma homenagem aos patriotas, como Amaro Gomes Coutinho, Peregrino de Carvalho e Francisco José da Silveira, que lutaram pela República e que foram enforcados e tiveram as cabeças e mãos salgadas e expostas nas principais ruas da antiga província da Parahyba”, revelou Cassandra Figueiredo.

Fonte: Secom/PB com foto de José Lins (Mineirinho)

tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share