Lindinalva Ramalho

Lindinalva Ramalho

Lindinalva Ramalho, Psicóloga Clínica, especialista em Saúde da Famíla, Coach de Relacionamentos, e proprietária da FinoAmor – Agência de Namoro & Matrimônio. Realiza atendimento a solteiros que desejam um relacionamento saudável e duradouro, e aconselhamento conjugal para casais em crise.

> ARTIGO

Publicado em 23/09/2017 09h51
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

As fases do relacionamento amoroso

            Assim como nós passamos por várias fases na vida (infância, adolescência, juventude, fase adulta, terceira idade...), o relacionamento amoroso também tem as suas fases.
           

São muitos estudos e pesquisas acerca desse tema. Podemos encontrar diversas teorias em vários livros. Na prática, vemos filmes, novelas, reality shows, etc., abordando o assunto.
            Mas, e você, que está vivendo um relacionamento amoroso e já passou por momentos de alegrias e desilusões, você sabe identificar em que fase está o seu relacionamento?
Ok! Concordo com você que não é tão simples e fácil quanto nós gostaríamos que fosse. Mas, hoje, vamos tentar esclarecer algumas dúvidas, aqui, agora!

Vamos lá?

1ª fase: PAIXÃO – aqui tudo é lindo! Tudo é cor de rosa, tudo é azul!
       

Sabe aquela fase do “só vou se você for”? Que as frases mais usadas são: Você é a coisa mais linda do mundo! A pessoa mais importante pra mim! Estou muito feliz, vivendo um relacionamento de contos de Fadas!


            Isso até me lembra aquela música que diz: “Eu estou apaixonado, esse amor é tão grande..." Pois, bem, essa é considerada a primeira fase do relacionamento.  Nessa fase o casal divide tudo (o pão, o suco, a cama de solteiro...) fazem isso com grande prazer, porque se sentem uma só pessoa – a alma gêmea uma da outra. Conversam muito, e querem ficar juntos todo o tempo. Um quer saber como foi o dia, o que o outro fez. O sentimento é tão forte que chega a doer o peito de tanta paixão.


       Pode acontecer também que, um, ou os dois, tenham dificuldades de se posicionar; por isso, evitam descordar um do outro pra não magoar. Podem surgir crises de ciúmes, de possessividade, dramaticidade e um medo constante de tudo acabar. Essa fase é caracterizada por fortes emoções. Ela pode durar de 1 a 2 anos.

2ª fase: CONEXÃO - eles DEFINEM A RELAÇÃO. Se tudo deu certo na FASE DA PAIXÃO, o casal caminha em direção ao casamento ou decidem morar juntos pra constituir um lar.

Agora eles já percebem as suas diferenças, até porque, com a convivência diária, elas ficam mais evidentes. Aí, surgem os acordos e as negociações. Por isso, essa fase é chamada de CONEXÃO. Vai dos 2 aos 5 anos da relação.


        É aqui onde há maior incidência de separações devido às implicâncias. Eles se incomodam com os defeitos um do outro e focam o que o outro tem de pior. Pegam no pé, discutem por tudo. Depois daquele tempo da conquista e da paixão em que cada um tentava mostrar o que tinha de melhor e o imenso amor que tinham pra dar, agora, querem resgatar a individualidade, fazer o que gostavam antes do início do namoro. Surge a dúvida de terem feito a escolha certa.  Sentem falta dos amigos, de saírem sozinhos. Mesmo se amando, se sentem, às vezes, sufocados, invadidos com a presença constante do parceiro/parceira em sua vida. Sabe a música do Roberto Carlos que ele diz: “a gente já não tá mais na base do só vou se você for. Será que aquele nosso grande amor dançou?” Por essas dúvidas e insatisfações, como já falei antes, essa é a fase onde há a maior incidência de separações.

3ª fase: FORTALECIMENTO - vai do 5º ao 8º ano da vida conjugal.
           

Agora o casal volta a enfatizar as semelhanças, mas, dessa vez, sem ilusão, projeção ou fantasias. A paixão já passou, vivem agora a realidade. Dedicam apoio mútuo em relação ao fortalecimento da construção da vida individual/profissional de cada um. A mais forte característica nessa fase é a harmonia entre a individualidade e a sensação de casal. EU (individuo) + NÓS (casal) coexistem.


CUIDADO! Às vezes, o tempo individual pode ser visto como ameaça à relação. Pode haver disputa de poder (a vida de um pode estar prosperando mais que a vida do outro). Isso pode gerar competição ou inveja.


Outra coisa que pode acontecer é a perda da identidade com o indivíduo em função do casal. É mais comum acontecer entre as mulheres, devido às exigências da maternidade. Essa fase exige também muita conversa entre os cônjuges para que a família se sinta uma equipe harmoniosa onde cada um desenvolve o seu papel ou função com o mesmo grau de importância – educação dos filhos, estabilidade financeira, etc.

4ª fase: APOIO MÚTUO - Vai de 8 a 12 anos de casamento. O grau de segurança e confiança entre o casal aumenta. Já estão colhendo os frutos do crescimento pessoal e profissional, e veem as diferenças entre eles como coisas complementares.

IMPASSE:

Acreditar que o outro é garantido, e, erroneamente, não vê mais a necessidade de conquista. Achar que já se conhecem muito bem e que o outro é óbvio, com isso, os momentos de conversas entre eles vão se tornando cada vez menos frequentes, favorecendo um distanciamento. Se se esse distanciamento for negligenciado, e não for dada a devida atenção, ele pode motivar a separação do casal.

5ª fase: AJUSTE - dos 12 aos 20 anos da união - é a fade de adaptação às mudanças vitais na vida de cada um (fase do envelhecimento – reconhecem a superação de muitas

diferenças – ocorre a aceitação genuína – há um sentimento de profundo companheirismo).


         Podemos dizer também que é a fase de Homeostase, de poucas mudanças. Pode haver menor expressão e demonstração do que um tem de positivo na vida do outro. Justamente por achar tudo muito óbvio, deixam de compartilhar problemas ou vitórias.


Dica! As novidades fazem com que haja a necessidade de engajamento da vida a dois... de conquista e superação.

CUIDADO para não se centrar na vida dos filhos, supervalorizar os problemas relacionados a eles e, como na fase dos filhos pequenos, se esquecerem de criar espaços de intimidade, amor, carinho e lazer somente para o casal.

6ª fase: RENOVAÇÃO - depois dos 20/25 anos de casados. Quando o relacionamento é saudável, é claro, essa é considerada a mais bela fase. O ROMANTISMO VOLTA A

SURGIR COM MUITA FORÇA. O casal sabe que tem uma história de realizações de muitas coisas juntos, muitos desafios... Tem grandes memórias, muitas lembranças. Se entendem com um simples olhar...

OS IMPASSES são os problemas com a saúde de ambos - problemas que podem surgir com o envelhecimento dos dois.

A síndrome do NINHO VAZIO (para o casal ou aquele que fez do exercício da maternidade a principal fonte de inspiração de viver, e paralisou a sua vida, depois do nascimento dos filhos, vivendo em função do bem estar deles.).

Por fim, o vazio, com a perda do outro por morte.


Pode haver sobreposições das etapas, elas não são tão claras e definidas, ocasionalmente, se intercalam.

Espero ter ajudado alguém!


            Você quer falar comigo, tirar dúvidas ou contar a sua história? Então, escreva pra mim! Será um prazer poder ajudar você!

E-mail: relacionamentoempauta.@gmail.com
WhatsApp: (83)98876-5056
          
Eu sou Lindinalva Ramalho, Psicóloga e Coach de Relacionamentos e desejo a você uma excelente semana!  


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share