Espaço do Cidadão

Espaço do Cidadão

> ARTIGO

Publicado em 28/01/2012 06h38
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

As lições do caso #LuizaqueestanoCanadá

Nas últimas semanas fomos pegos de surpresa com o sucesso repentino do meme em função da hastag #LuizaqueestanoCanadá e ele nos trás algumas lições, que gostaria de tratar: No que tange a força que tem as redes sociais, acho que a cada dia nos surpreendemos e aqui elenco casos como: Eleições 2010, Primavera Árabe, BBB12, Occupy Wall Street, Luiza e tantos outros, que surgem a cada dia e aparecem nos Trending Topics. E alerto, nós ainda iremos nos surpreender e muito com a força delas e com tudo o que elas vêm representando em nosso meio midiático. Outro ponto é a febre com que um twitter legal, uma postagem do facebook ou qualquer outra forma de interação social toma dentro do chamado mundo virtual, com comentários, retwitters e compartilhamentos.



No quesito das lições, a do ponto de vista pessoal, me leva ao questionamento de até que ponto podemos separar os mundos virtual e real. Essa interligação é saudável, a exposição virtual de fatos da vida real também, ou seria algo mais complexo e que nos remete a curiosidade, e aqui pergunto, quem nunca olhou a foto nova que aquele amigo postou, ou procurou saber onde alguém estava através das redes sociais? Começamos a verificar que na verdade elas nos ajudam a satisfazer uma curiosidade, um desejo, que em muitos casos não podemos fazer diretamente ou não queríamos que aquela pessoa soubesse. Relembro que dependendo da idade com que a pessoa é inserida nesse contexto, deve-se ter cuidados para problemas que podem aflorar, desde distúrbios de personalidade, até os chamados perfis fake, ou seja, falsos perfis que alguns se fazem passar pelo que não são ou até por alguém famoso.



Do ponto de vista comercial, somos remetidos a reflexões importantes, ou seja, já são 8 (oito) apartamentos vendidos no chamado Prédio da Luiza. E ai verifica-se a super exposição de uma adolescente de 17 anos, o novo furacão do marketing brasileiro, segundo portal Brasil Econômico, indago, será que isso é benéfico para a Luiza que voltou do Canadá? Até que ponto será duradouro ou trará benefícios, segundo especula-se o benefício econômico já está vindo e em proporção 4 (quatro) vezes maior aquela acordada inicialmente. Porém ainda pergunto: Alguém toca no nome do criador desse fenômeno? Sabe que é o repórter do Sistema Correio, Hyldo Pereira, porém a criatura está se destacando bem mais do que seu criador, que pouco foi exposto, mas todos sabem quem é. Desde a semana passada muitos já pegam carona na propaganda e no sucesso de Luiza, e hoje até a escola de intercâmbio, que levou Luiz ao Canadá, apareceu com um anúncio, remetendo e pegando aquela carona básica no fenômeno.



Por fim, lhes levo a seguinte reflexão: Será que estamos preparados para tudo isso? Ou iremos continuar nos surpreendendo e buscando formas criativas, meme’s e os bordões para nos divertir e quem sabe lucrar um pouco mais. Não quero dizer que ninguém é “bandido” ou “que está no Canadá”, para promover algo, mas quero apenas lembrar que somos um povo bem criativo e que devemos canalizar todo esse potencial para nos reinventar e assim desenvolver nossa nação, nosso estado, nossa cidade. Viva os brasileiros.



tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share