Carlos André Cavalcanti

Carlos André Cavalcanti

> ARTIGO

Publicado em 26/06/2013 10h43
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

O Desencantamento dos Manifestantes

Vi surgirem as atuais manifestações nas ruas do Brasil com muito ceticismo. Boas bandeiras logo vieram misturadas com vandalismo, espontaneísmo e “apartidarismo”. Não discordo da tese do pensador francês Michel Maffesoli de que há um processo de superação do atual formato de representatividade política na direção de um formato “pós-moderno” de representação da vontade popular, mas sei que isso não será para amanhã ou sequer para esta década. Assim, ousei cantar a pedra quando muitos estavam entusiasmados com a aparente novidade: disse a todos que pude que estas manifestações seriam manietadas por extremistas de direita (principalmente!) e de esquerda e.... que os bem intencionados manifestantes ficariam frustrados.

Passados os dias, tudo vai ficando mais claro: as manifestações acabaram contando fortemente contra o Governo da Frente Popular comandada pelo PT e estão favorecendo a aliança de centro-direita em torno do PSDB e do DEM, mas podem favorecer coisa pior, aventureira.... Os amplos setores midiáticos ligados a empresas de comunicação que preferem as forças da oposição ao atual governo de esquerda, estão fazendo o que sempre fizeram: uma festa conservadora em cada edição dos seus “jornais”, com “análises”, “matérias” e “entrevistas” favoráveis às teses que gerem desgaste para a Presidenta Dilma.


Os primeiros sinais de que algo me dava, infelizmente, razão ao cantar a pedra há duas semanas, vieram dos alunos meus que foram ficando intrigados e cada vez mais preocupados com a direitização das manifestações. A um deles, mais aflito, que me perguntou como é que eu “já sabia” que isso ocorreria, bati a mão em seu ombro e expliquei-lhe: quem é, como eu, de uma geração que combateu a ditadura em sua segunda década, sabe que as manifestações populares neste país só são mesmo populares quando estão diretamente ligadas aos interesses do povo. Isso quer dizer que não podem ser “apartidárias” e acéfalas. Numa realidade social dura e excludente como a nossa, ninguém vai pra rua sem ficar de um lado ou de outro: ou se é contra ou se é a favor da forma de dominação pornográfica com a qual a elite nacional geralmente – há exceções! – brinda o nosso povo dia após dia há uns.... 500 anos!!!!!!”


Se você, jovem e eventual leitor, deseja mesmo contribuir por um país melhor, lute a luta do povo e não se deixe manipular, nem mesmo pelos “amigos internautas” repletos de boas intenções....
 


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share