Des. José Di Lorenzo Serpa

Des. José Di Lorenzo Serpa

> ARTIGO

Publicado em 26/08/2013 14h24
  • Tamanho da letra
  • A-
  • A+

Ponto Final

 Há sempre um ponto mais alto ou mais baixo no decorrer dos acontecimentos de nossa vida, começando pelas coisas mais simples até as mais complicadas.

  Detectamos estes pontos numa viagem, em que normalmente o ponto mais alto é a chegada, o ponto final. Para tudo existe um ponto final, a começar pelas viagens de trem ou um passeio nos antigos bondes de saudosas memórias.

  O peão monta o cavalo selado e, galopando, encontra o seu destino final. Não sei definir ponto, porém posso dizer que não entendo de definições, mas de avião, de navios, chegamos ao ponto final.

  Gostaria de entender até que ponto, sem trocadilhos, chegaremos ao ponto final de nossos atos em nossa caminhada, às vezes sem rumo certo, sem final previsível.

  Podemos dizer que milhões de pessoas se mobilizam durante dias e noites em busca de um ponto final. É verdade quer seja num metrô ou num outro móvel, existem as paradas ou pontos intermediários que prejudicam as chegadas ao ponto final.

  Assim acontece também com nossas vidas. Algumas pessoas ou acontecimentos prejudicam a nossa caminhada até o término do nosso existir. A nossa existência não prescinde deles, pois são altivos, fortes, mas não imbatíveis.

  Sabemos todos que uma viagem de camelo torna-se mais lenta do que a percorrida num velho Chevrolet, até porque o primeiro traspassará o deserto sempre a espera de um oásis.

  Que fazer na viagem da vida para chegarmos inteiros ao ponto final? Responderia simplesmente – o que se pode. Podemos usar os conhecimentos recebidos na casa paterna que levaremos conosco para sempre, até porque o conhecimento nos liberta.

  A chegada ao cume da montanha é muito árdua porque as veredas e as longas caminhadas nos levam a lugares distantes. Subir serras, montes ou montanhas não cabe ao aprendiz comum com o fito de alcance a um ponto final.

  Fala-se muito numa sucessão de pontos que agravarão a situação e não estou preparado a falar sobre todos eles, posto que mais complicados, pois implicaria em mais de um ponto final. Uma coisa é verdadeira: ele, o ponto final, se encontra em toda atividade humana, quer seja no plano social, religioso ou político.

  No tocante ao plano amoroso, ele se apresenta às vezes terminando um grande caso d'amor, como diz o cancioneiro popular: “Adeus, adeus , adeus é como o fim de uma estrada, cortando a encruzilhada - ponto final de um romance de amor”.

Des. José Di Lorenzo Serpa
gdls@tjpb.jus.br
 


tags
Nenhum resultado encontrado.

Comentar

Bookmark and Share