Médico Panta abandona felinos e Doença do Gato amedronta população de Santa Rita

Todo médico faz juramento para cuidar da vida dos seres humanos, mas bem que deveria também cuidar dos animais. Alguns deles, que não são veterinários, não deixam os animeis morrerem à míngua. Mas no caso do médico Emerson Panta, prefeito do município de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa, o descaso com os bichos, em particular os felinos, é de deixar a população revoltada. O detalhe é que por se tratar de uma zoonose, a doença pode afetar oshumanos, aumentando ainda mais os  gastos com saúde no município.

Em cada canto da cidade surge a cada dia um novo caso de esporotricose, uma micose subcutânea causada pelo fungo Sporothrix schenckii que pode atacar humanos e animais. Geralmente afeta a pele e os vasos linfáticos próximos a ela, mas pode também afetar ossos, pulmão e articulações.

Nas ruas de Várzea Nova e nas proximidades do mercado público de Santa Rita é comum ver gatinhos com ferimentos na pele, principalmente no rosto. A população não sabe o que fazer e nem a quem recorrer, uma vez que o Centro de Zoonoses da cidade se encontra fechado. São várias as reclamações que o portal Fatospb vem recebendo nos últimos dias.

O líder comunitário Domiciano foi uma das pessoas que denunciou o fato utilizando as redes sociais para mostrar o sofrimento dos animais e disparou: “É uma doença que tá passando de gato para humanos! Em todo caso peça socorro a Deus por que a prefeitura não tem zoonose, que é um centro de tratamento de animais! Com a palavra o prefeito Emerson Panta e autoridades da área de saúde animal! O doutor que não cuida da saúde nem do povo… imagina dos animais?!”

Até o Pastor João do Alternativo, por exemplo, não vendo as autoridades competentes tomarem alguma decisão para pôr fim ao sofrimento dos felinos, decidiu resgatar os gatinhos doentes da cidade e se colocar à disposição da população para ajudar a tentar resolver o problema. No vídeo ele diz que “se a zoonose não faz, a gente faz”.

Veja o vídeo baixo:

Por se tratar de uma zoonose, doença que afeta animais e humanos, a população de Santa Rita está temerosa que ela se alastre e atinja principalmente as crianças que costumam brincar com os animais.

A esporotricose pode ser dividida em três fases distintas, cada uma com os seus sintomas:

1 – Forma cutânea: é caracterizada por um nódulo avermelhado. Também podem ser observadas secreções que lembram abcessos e feridas causadas por brigas, sendo mais comum encontrá-las na face, no plano nasal, na base da cauda e nas pernas. As lesões podem ser múltiplas ou solitárias.

2 – Forma linfocutânea: ocorre quando os nódulos cutâneos progridem para úlceras com secreção na pele, com comprometimento do sistema linfático.

3 – Forma disseminada: nesse estágio, é possível observar lesões ulceradas generalizadas no pet, além de apatia, febre, anorexia e alteração no trato respiratório.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui