Adoniran Barbosa

O Arnesto do samba existiu, mas nunca convidou ninguém para um samba no Brás.

Ouvi esta versão do próprio Ernesto Paulelli personagem a que se refere o sambista num documentário televisivo há poucos dias.

Os dois se conheceram na Rádio Record, apresentados pela cantora Nhá Zefa.

Na apresentação Adoniran cujo nome verdadeiro era João Rubinato, observou: “seu nome dá samba, vou fazer um samba prá você. Disse e após 17 anos cumpriu a promessa.

Sambista, compositor, cantor, humorista e ator tinha uma marca registrada: Chapéu preto de lado, bigode, terno e gravata borboleta.

Outro fato curioso ele nunca morou em Jaçanã (/trem das Onze). Morava em Santo André e diariamente tomava o trem par São Paulo onde trabalhava e como Santo André não rimava com “amanhã” usou da licença poética e tacou Jaçanã como sendo sua naturalidade.

Hoje Trem das Onze é a canção que mais lembra seu compositor. Gravada em 19 línguas estrangeiras de acordo com o músico Sérgio Rosa, componente do Demônios da Garoa.

Adoniran compunha utilizando a linguagem popular regionalista dos bairros do Brás e do Bixiga, onde vivem os trabalhadores e imigrantes. Um cronista da vida urbana, pouco se lixava para a grafia ou concordância verbal. “só faço samba pra o povo e é assim que o povo fala”.

Esta prática lhe rendeu inúmeras críticas inclusive de Vinícius de Moraes para quem musicou uma de suas poesias “Bom dia, Tristeza”, sem dar importância ao tratamento que lhe foi reservado pelo “poetinha”.

Se vivo fosse, Adoniran no próximo dia 06 de agosto, estaria completando 110 anos.

João Rubinato (Adoniran Barbosa), filho de imigrantes italianos nasceu no dia 06 de agosto de 1910, em Valinhos no interior de São Paulo, e morreu no dia 23 de novembro de 1982, na capital paulista, pobre e esquecido e, paradoxalmente eternizado na memória de todos brasileiros.

Maurício Montenegro
Engenheiro civil com experiência na gestão de obras públicas e privadas, com familiaridade em planejamento estratégico. Ex-interventor do município de São Miguel de Taipu, ex-secretário de Obras da Prefeitura Municipal de João Pessoa, ex-diretor técnico da Companhia Estadual de Habitação (Cehap), coordenador da elaboração do Plano Diretor do Distrito Industrial de Caaporã, Coordenador da Carta Consulta para obtenção de crédito junto à Coordenação Andina de Fomento (CAF) para obtenção de empréstimo no valor de 100 milhões de dólares destinados à pavimentação e recuperação de rodovias do Estado da Paraíba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui