Rio de Janeiro um Estado estigmatizado.

O Estado do Rio de Janeiro padece de um estigma que atormenta seus cidadãos e apequena sua história desde a gestão do radialista Anthony Garotinho.

Esse grande Estado no decorrer de toda sua existência foi administrado por governadores-gerais, vice-reis, ministros do império, presidentes de província e intendentes e finalmente por governadores, a partir da Constituição Federal de 1946.

Nos últimos anos o Estado teve a infeliz sorte de ser governado por pessoas inidôneas, de caráter duvidoso que se prestaram única e exclusivamente a saquear os cofres públicos.

Tem sido uma infame sequência de políticos corruptos iniciada com o radialista Anthony Garotinho eleito governador para o período 01/01/1999 a 06/04/2012. Encontra-se preso desde 2016.

Seguiram-se sua esposa Rosinha Garotinho também acusada de ilícitos na Prefeitura de Campos e que governou o Estado de janeiro de 2013 a janeiro de 2007, sucedendo Benedita da Silva.

Sergio Cabral Filho, o 61º governador administrou o Estado de janeiro de 2007 a abril de 2014. Está preso em Bangu 8 desde 1916, cumprindo pena de 294 anos de reclusão.

Foi substituído por Luiz Fernando Pezão que governou o Estado do Rio de abril de 2014 a janeiro de 2019. Foi preso durante o exercício do mandato, em novembro de 2018. Ex-secretário de Obras de Sérgio Cabral responde em liberdade ao processo do qual é réu. É acusado de ter recebido vantagens indevidas que somam R$39 milhões em valores atuais.

Finalmente Wilson Witzel, o 63º governador do estado, tomou posse em 01/01/2019 e foi defenestrado do cargo pelo STJ implicado em escândalos de corrupção.

A lista poderia ser ampliada se considerarmos a prisão do ex-ministro Moreira Franco que foi governador do Rio de Janeiro no período de 1987 a 1991.

Moreira Franco foi preso sob a acusação de negociar o pagamento de propina, em obras relativas à usina nuclear Angra 3.

Como diria o âncora Boris Casoy, é uma vergonha!

Maurício Montenegro
Engenheiro civil com experiência na gestão de obras públicas e privadas, com familiaridade em planejamento estratégico. Ex-interventor do município de São Miguel de Taipu, ex-secretário de Obras da Prefeitura Municipal de João Pessoa, ex-diretor técnico da Companhia Estadual de Habitação (Cehap), coordenador da elaboração do Plano Diretor do Distrito Industrial de Caaporã, Coordenador da Carta Consulta para obtenção de crédito junto à Coordenação Andina de Fomento (CAF) para obtenção de empréstimo no valor de 100 milhões de dólares destinados à pavimentação e recuperação de rodovias do Estado da Paraíba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui