Eu e Isabela

Falando, ainda, da minha travessia no COVID-19 lembro-me bem que estava na UTI, com uma traqueostomia, sem poder falar, vivendo dias difíceis, de muita luta, com muitas alucinações, mas também com imagens que me chegavam trazendo paz, esperança e fé para continuar batalhando pela vida.

Para quem não sabe, Isabela Cavalcanti de Queiroga é minha primeira neta, de quatro anos de idade.

Por mais de seis dias, no cair da tarde, naqueles dias difíceis da UTI, passei a vivenciar a imagem de minha esposa, Márcia Queiroga, chegando para me visitar acompanhada de Onaldo Filho, sua esposa Amanda e as filhas Isabela (4 anos) e Laura (9 meses,à epoca), além de Antônio Elias de Queiroga Neto (meu segundo filho) e sua noiva Thaiane Costa, como também Onélia Maria (minha filha) e seu noivo Gustavo Miranda.

Ali permaneciam até umas 20 horas, quando se despediam. Mas todos iam embora, menos Isabela. Ela ficava ali comigo, passava a noite brincando ao redor da minha cama, conversava comigo, sorríamos e ela me transmitia carinho, paz e esperança de vida.

Depois de algumas horas, ela dizia: Vovô, eu vou dormir! Deitava numa cama vizinha a minha e ali dormia a noite inteira, como se fosse um anjo a me guardar, a me guiar naquela dolorosa travessia. Logo quando o dia amanhecia, ela acordava e falava: Vovô eu já vou para minha casa. De noite eu volto.

Foram dias vivenciando essas imagens, a presença desse anjo, que espiritualmente, inexplicavelmente, vinha durante a noite para me fazer companhia, me fortalecer e com seus gestos de carinho me conduzir pelas tortuosas veredas daquele calvário.

Depois que deixei a UTI, fui para a SEMI-UTI, onde já de posse do meu celular passei a receber vídeos pelo whatssap que meus filhos e minha esposa me enviavam. O incrível é que em alguns desses vídeos o destaque era justamente as mensagens de Isabela, onde ela falava carinhosamente comigo, da sua saudade e pedindo para que eu fosse brincar com ela, além de falar que me amava. Não conseguia acreditar no que via nos vídeos. Era uma confirmação plena do que senti vivenciando as imagens com minha netinha enquanto estava na UTI.

Posteriormente, eu já de alta hospitalar, ainda em São Paulo, recebo a visita de meu filho Onaldo Filho e sua esposa Amanda. Eles me relataram que Isabela, por vários e vários dias, sonhara que estava dormindo comigo no hospital, em uma cama vizinha a minha e dizia que eu estava melhor.

O incrível é que Isabela fez um desenho onde eu apareço deitado em uma cama e, em outra vizinha a minha, ela aparece deitada. Esse desenho me foi entregue por Amanda.

Esse período, de minhas visões com Isabela, coincide com as noites em que ela sonhou que estava comigo no hospital. São coisas inexplicáveis, mas o fato é que aconteceu e que me fortaleceu para o enfrentamento daquela situação dolorosa que vivenciei na UTI, período de muito sofrimento, mas que, sem dúvida, a presença de Isabela, em forma de anjo, me ajudou a vencer dias extremamente difíceis de luta pela vida. Isabela, essa vitória também é sua, te amo!!!

Onaldo Queiroga
onaldorqueiroga@gmail.com

Onaldo Queiroga
Onaldo Rocha de Queiroga é natural de Pombal, formou-se em Direito em 1987, ocupando diversos cargos na área, em várias cidades paraibanas. Atualmente é juiz da 5ª Vara Cível de João Pessoa e ocupa o cargo de juiz auxiliar da presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba. Ingressou na literatura com o livro Esquinas da Vida e prosseguiu com Baião em Crônicas, Reflexões, Por Amor ao Forró, Crônicas de um Viajante, Meditações, Monólogos do meu Tempo; Efeitos, Homíneos e Naturais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui