Lições de Joseph Safra  

Um dos últimos banqueiros “raiz”, como poderia ser considerado, Joseph Safra nos deixou recentemente, aos 82 anos. De origem libanesa, veio ainda jovem para o Brasil dar continuidade aos negócios da família, de tradição no setor bancário. Considerado o homem mais rico do Brasil pela Forbes, com um patrimônio estimado em US$ 119 bilhões, Safra deixa, além de sua fortuna, um legado de ensinamentos não só para players do mercado em que atuava, mas para todo empresário, empreendedor e profissional.

Se o Banco Safra cresceu com uma reputação de solidez, foi por causa do pulso firme e da determinação de Seu José, como era chamado, em manter sempre a reputação de sua instituição. Ele fazia questão de que sua clientela se sentisse confiante e confortável de delegar ao banco o cuidado de seu dinheiro. Essa boa imagem, que fazia parte das premissas da empresa, foi a responsável por atrair cada vez mais investimentos e clientes, afinal, é muito mais atrativo depositar seu patrimônio em um banco conhecido pela liquidez.

E aqui vemos um ponto essencial em qualquer relação entre empresa e cliente: a confiança. Independentemente do ramo em que atue, toda companhia deve garantir a seu público a entrega dos serviços ou produtos ofertados. No caso do Safra, serviços financeiros que afetam uma parte importante da vida do cliente: o bolso. Se a instituição não entregasse o que prometia, jamais conseguiria alcançar o status de confiabilidade que conquistou.

O que Joseph Safra deixa como ensinamento é o trabalho que deve ser desenvolvido por uma empresa no sentido de construir uma reputação: um processo longo, que leva anos, e pode ser interrompido ao menor deslize. Por isso, é importante estar sempre atento a eventuais percalços que possam manchar a boa imagem da empresa. Para o público, não interessa se você tem mais de 100 anos de boa reputação no que faz; um simples erro pode colocar tudo a perder. Ao mesmo tempo, quem promete algo que não entrega tampouco se estabelecerá, pois a fama que o precederá não será das melhores. Sigamos atentos.

José Janguiê Bezerra Diniz
José Janguiê Bezerra Diniz nasceu no distrito de Santana dos Garrotes, na Paraíba. Sua trajetória de vida foi baseada na educação. Trabalhava de dia e estudava a noite. Prestou vestibular para Direito em 1983 e foi aprovado na UFPE. Em 1992, tornou-se, por concurso público, Juiz Federal do Trabalho do TRT 6ª Região. Nesta época, já havia se formado em Letras na Unicap e era professor na Faculdade de Direito de Olinda. Em 2003, criou, no Recife, a Faculdade Maurício de Nassau, mantida pelo Grupo Ser Educacional. Hoje, o Grupo é um dos maiores do Brasil, atendendo mais de 160 mil alunos em mais de 60 unidades distribuídas por todos os estados da Federação, contando com mais de 11 mil colaboradores. Janguiê Diniz já tem 21 livros publicados, entre eles sua autobiografia, intitulada “Transformando sonhos em realidade – a trajetória do ex-engraxate que chegou à lista da Forbes”, Fábrica de Vencedores – Aprendendo a Ser um Gigante, Passos para o Sucesso, A Arte de Empreender e Axiomas da Prosperidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui