Crise em Conde

Vice renuncia, acusa Márcia Lucena de fazer coronelismo moderno e prefeita chama ex-aliado de mentiroso e covarde

O clima de Primavera não foi o suficiente para reduzir o calor das intrigas políticas no jardim dos girassóis

23/09/2019 22h55Atualizado há 3 semanas
Por: da Redação
Fonte: Redação com MaisPB
Máecia Lucena e Temístocles Ribeiro Filho foram eleitos em 2016
Máecia Lucena e Temístocles Ribeiro Filho foram eleitos em 2016

O clima de início de Primavera no município de Conde, Região Metropolitana da Grande João Pessoa, foi de muito calor na seara política no final da tarde para o começo da noite desta segunda-feira, 23. O vice-prefeito  Temistocles Ribeiro Filho, decidiu renunciar ao mandato e encaminhou o pedido à Câmara Municipal da cidade em 10 páginas de dinamite pura.

 

O ex-aliado de Márcia Lucena não poupou munição contra a prefeita e contra os assessores da gestão municipal. Além das lamentações, ele saiu disparando frases de efeito e denunciando fatos que caberão ao Ministério Público averiguar a veracidade posteriormente, a exemplo da utilização, por parte da prefeitura, de possíveis documentos fraudulentos para incriminá-lo por acumulação de cargo público.

 

O agora ex-vice-prefeito iniciou a carta renúncia de forma branda, afirmando que o desligamento veio após perceber que o ‘projeto de poder’ da prefeita não fazia parte dos planos dele. “Tudo aquilo que foi defendido junto ao povo, durante minha campanha política, não passou de discursos ilusórios e nove meses após minha posse, tomei a decisão de não fazer parte do projeto de poder que estava sendo implantado na cidade e informei o desligamento do modelo, que estava utilizando uma gestão pública para colocar em prática na cidade um projeto de poder, principalmente por entender que não tinha sido aquilo que e povo de Conde acreditou”, revelou.

 

Temistocles Ribeiro diz claramente que foi vítima de várias perseguições e ataques por parte da gestão municipal, acusando a prefeita Márcia Lucena de utilizar documentos falsos para incriminá-lo junto aos órgãos públicos de fiscalização. “A gestora do Conde se utilizou de documentos falsos e de inverdades processuais para levar autoridades ao erro em denúncias apócrifas de acúmulo de cargos e utilizou isso como ferramenta para mais uma vez voltar seu arsenal de ataques e perseguições contra mim, tentando mais uma vez me difamar”, denuncia.

 

Por outro lado, a prefeita Márcia Lucena, em nota oficial assinada pela Prefeitura de Conde, afirma que o vice dela “se acovardou diante dos desafios políticos e administrativos impostos àqueles realmente com coragem de lutar em defesa da população condense” e ainda disparou: “ele resolveu politizar a opção que fez: a de não assumir suas responsabilidades de gestor público permanecendo no cargo e renunciando ao outro emprego. Optou por mentir quanto à realidade dos fatos, traindo a confiança dos que acreditaram no seu anunciado intento de contribuir com trabalho para o desenvolvimento do Município”.

O portal MaisPb trouxe a íntegra da carta renúncia do vice: Clique no link abaixo e leia 

 https://www.maispb.com.br/wp-content/uploads/2019/09/Renu%CC%81ncia-Dr.-Temistocles.pdf

Leia abaixo a carta da prefeitura na íntegra:

 

 

ESTADO DA PARAÍBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONDE

NOTA OFICIAL - RENÚNCIA DO VICE-PREFEITO

 

 Sobre a renúncia do vice-prefeito de Conde:

 1 - A Prefeitura Municipal de Conde atribui a renúncia do vice-prefeito ao fato de ele ter sido flagrado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) cometendo acumulação de cargo público, o que é vedado por lei;

 

2 -  O TCE notificou a Prefeitura sobre a ilegalidade, e a Secretaria de Administração do Município procedeu de forma a que o então vice-prefeito optasse por uma das remunerações e sanasse a ilegalidade, o que ele se recusou a fazer, obrigando a Prefeitura a suspender o subsídio a que ele tinha direito sob pena de o município também afrontar a legislação em vigor;

 

3 - A Prefeitura considera fantasiosa a afirmação do renunciante apresentada em carta encaminhada à Câmara Municipal de que seria vítima de perseguições por parte de integrantes da Gestão Municipal, fato que teria causado a renúncia;

 

4 - Na verdade, ele resolveu politizar a opção que fez: a de não assumir suas responsabilidades de gestor público permanecendo no cargo e renunciando ao outro emprego. Optou por mentir quanto à realidade dos fatos, traindo a confiança dos que acreditaram no seu anunciado intento de contribuir com trabalho para o desenvolvimento do Município;

 

4 - A Prefeitura rejeita as acusações descabidas aos integrantes da equipe gestora, e lamenta o desfecho decepcionante da curta trajetória política de um cidadão que se acovardou diante dos desafios políticos e administrativos impostos àqueles realmente com coragem de lutar em defesa da população condense.

 

 

 

 

 

A PREFEITURA

Conde, 23 de setembro de 2019

Área de anexos

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias